10 maneiras de sincronizar o mercado com fundos mútuos

Publicado por Javier Ricardo


Quando se trata de comprar fundos mútuos,
todo investimento é uma forma de timing de mercado, mesmo se você empregar uma estratégia de investimento de compra e manutenção. Por exemplo, quando você toma a decisão de comprar um fundo mútuo, escolhe o que e quando comprá-lo. O mesmo vale para o lado da venda – você decide qual investimento vender, quantas ações vender e decidir quando vendê-lo, tudo o que incorpora a ideia de tempo.


Tal como acontece com todas as estratégias de investimento e planos financeiros, existem muitas maneiras de ter sucesso.
Você só precisa encontrar uma ou duas estratégias que funcionem para você e mantê-las.


Aqui estão 10 maneiras de ajustar o tempo do mercado com fundos mútuos:

1. Identifique e supere seu pior inimigo


Parafraseando o lendário investidor Ben Graham, o pior inimigo do investidor costuma ser ele mesmo.
Talvez o maior erro que um investidor pode cometer seja deixar-se cegar por emoções prejudiciais, como medo, ganância, ansiedade e desejo de controle, todos os quais podem ser minimizados ou neutralizados pelas virtudes da humildade e paciência.


Quando você toma decisões sabendo que é impossível “superar o mercado” e percebe que os resultados nem sempre são instantâneos, você começa a reduzir as chances de tomar decisões erradas, que geralmente são baseadas na emoção.
Essas decisões erradas podem vir de fontes externas, como a mídia financeira.


Você está lendo artigos que pressionam botões emocionais, como “How to Get Rich Quick With Market Timing”?
Tente manter o consumo de informações o mais baseado em fatos possível. Mas se você sentir necessidade de se manter conectado com um site que gosta de provocar emoções, certifique-se de equilibrá-lo com outra fonte mais baseada na realidade.

2. Valor vs crescimento vs índice


Esteja você construindo um portfólio de fundos mútuos do zero ou procurando a melhor maneira de impulsionar o desempenho de seu mix de investimentos existente, é sensato entender onde, no ciclo de mercado, as estratégias de valor e crescimento funcionam melhor.


As estratégias de crescimento (fundos mútuos de ações de crescimento), como o nome indica, geralmente apresentam melhor desempenho nos estágios maduros de um ciclo de mercado, quando a economia está crescendo a uma taxa saudável.
A estratégia de crescimento reflete o que corporações, consumidores e investidores estão fazendo simultaneamente em economias saudáveis ​​- ganhando expectativas cada vez maiores de crescimento futuro e gastando mais dinheiro para isso. As empresas de tecnologia são bons exemplos aqui, assim como outros setores industriais, como energia ou áreas alternativas, como fundos de metais preciosos.
Normalmente, eles têm valores altos, mas podem continuar a crescer além dessas avaliações quando o ambiente for adequado.


As estratégias de valor (fundos mútuos de ações de valor) normalmente superam o crescimento e a combinação (índice) durante ambientes recessivos.
Pense em 2002, quando a “bolha das pontocom” estourou totalmente e o crescimento estava chegando. Em 2008, o pico da Grande Recessão, viu o valor dominar o crescimento.

3. Melhor momento para investir em ações de pequena capitalização


A sabedoria convencional é mista sobre quando é o melhor momento para investir em fundos de ações de baixa capitalização.
Alguns dizem que eles se saem melhor em ambientes com taxas de juros em alta, mas o domínio das pequenas empresas pode ocorrer no início da recuperação econômica, quando as taxas de juros podem estar relativamente altas e caindo.


O raciocínio é que as pequenas empresas podem começar a se recuperar nas economias em crescimento mais rapidamente do que as empresas maiores, porque seu destino coletivo não está diretamente ligado às taxas de juros e outros fatores econômicos que as ajudem a crescer.
Como um pequeno barco na água, as pequenas empresas podem se mover mais rápido e navegar com mais precisão do que as grandes empresas que se movem como transatlânticos gigantes.

4. Sincronização com fluxos de fundos mútuos


Os fluxos de fundos mútuos, geralmente chamados de “fluxos de fundos”, indicam como os investidores estão investindo seu dinheiro em fundos mútuos.
Os fluxos são medidas de dólares que entram ou saem de fundos mútuos. Alguns investidores usam os fluxos de fundos como um indicador econômico importante, o que significa que pistas sobre a direção que a economia pode tomar no futuro próximo podem ser obtidas observando como os investidores de fundos mútuos estão investindo hoje.


Se, por exemplo, os fluxos de fundos forem positivos – mais dólares estão fluindo para fundos mútuos do que saindo – os investidores podem considerar isso um sinal de que a economia está caminhando para uma direção positiva no futuro próximo.

5. Usando fundos mútuos do Bear Market


Os fundos de mercado baixista são carteiras de fundos mútuos construídas e projetadas para ganhar dinheiro quando o mercado está caindo.
Para isso, os fundos bear market investem em posições curtas e derivativos, portanto, seus retornos geralmente se movem na direção oposta do índice de referência. Portanto, o melhor momento para usar os fundos do bear market é perto do final de um bull market ou quando o investidor vê evidências convincentes de um bear market.

6. Cronometrar o mercado com setores


Existem vários setores industriais diferentes, como saúde, financeiro e tecnologia, e cada setor tende a ter um bom desempenho durante as várias fases de expansão e contração econômica.
Portanto, é possível sincronizar o mercado com fundos setoriais ou ETFs. Embora não haja um método infalível de cronometrar o mercado de ações, adicionar setores em pequenas porções a uma carteira de investimento, como três ou quatro fundos de setor ou ETFs alocados a 5% cada, pode realmente adicionar diversificação (reduzir o risco de mercado) e potencialmente aumentar retornos da carteira.

7. Investimento dinâmico: tempo e estratégia


Mais comumente, e especialmente com fundos mútuos projetados para capturar a estratégia de investimento de impulso, a ideia é “comprar na alta e vender na alta”.
Por exemplo, um gerente de fundo mútuo pode buscar ações de crescimento que tenham mostrado tendências de valorização consistente de preço com a expectativa de que as tendências de aumento de preços continuem. Esse momento geralmente ocorre nos últimos estágios de um mercado em alta, em que os preços das ações geralmente aumentam há mais de alguns anos e o ciclo econômico está se aproximando dos estágios de maturidade.


Para a maioria dos investidores, a melhor abordagem é usar um bom fundo de índice de crescimento negociado em bolsa, como o Vanguard Growth ETF (VUG) ou fundo mútuo de crescimento gerido ativamente, como o Fidelity Growth Company Fund (FDGRX).

8. Usando a alocação de ativos táticos


A alocação tática de ativos é um estilo de investimento em que as três classes de ativos primários (ações, títulos e dinheiro) são ativamente equilibradas e ajustadas pelo investidor com a intenção de maximizar os retornos da carteira e minimizar o risco em comparação com um benchmark, como um índice.
Este estilo de investimento difere daqueles da análise técnica e da análise fundamental, pois se concentra principalmente na alocação de ativos e, secundariamente, na seleção de investimentos.


A parte desse estilo de investimento que o torna tático é que a alocação mudará dependendo das condições econômicas e de mercado prevalecentes (ou esperadas).
Dependendo dessas condições e dos objetivos do investidor, a alocação para um determinado ativo (ou mais de um ativo) pode ser com ponderação neutra, ponderada em excesso ou em ponderação insuficiente.


É importante observar que a alocação tática de ativos difere do timing de mercado absoluto porque o método é lento, deliberado e metódico, ao passo que o timing geralmente envolve negociações mais frequentes e especulativas.
Portanto, a alocação tática de ativos é um estilo de investimento ativo que possui algumas qualidades passivas de investimento, compra e manutenção, porque o investidor não está necessariamente abandonando os tipos de ativos ou investimentos, mas sim alterando os pesos ou porcentagens.

9. Usando Análise Técnica


A análise técnica é uma técnica de timing de mercado contestada pela hipótese do mercado eficiente (EMH), que afirma que todas as informações conhecidas sobre títulos de investimento, como ações, já estão incluídas nos preços desses títulos.
Portanto, nenhuma análise pode dar a um investidor uma vantagem sobre outros investidores.


Os traders técnicos costumam usar gráficos para reconhecer padrões de preços recentes e tendências de mercado atuais com o propósito de prever padrões e tendências futuras.
Em outras palavras, existem padrões e tendências particulares que podem fornecer ao operador técnico certas pistas ou sinais, chamados indicadores, sobre os movimentos futuros do mercado.


Por exemplo, alguns padrões recebem nomes descritivos, como “cabeça e ombros” ou “xícara e alça”.
Quando esses padrões começam a tomar forma e são reconhecidos, o trader técnico pode tomar decisões de investimento com base no resultado esperado do padrão ou tendência.

10. Estratégia de compra e retenção


Sim, mesmo comprar e manter é uma forma de timing de mercado!
Se você considerar que cada vez que compra ações, títulos, fundos mútuos ou ETFs, está escolhendo a hora e o número de ações ou o valor em dólares, você
cronometrou a compra!


Embora muito do buy-and-hold seja considerado investimento passivo, especialmente quando os investidores empregam uma filosofia de “definir e esquecer” com táticas como a média do custo em dólar, o buy-and-hold ainda é o momento certo, embora no menor grau.


O timing do mercado normalmente tem um investidor comprando e vendendo em períodos mais curtos com a intenção de comprar a preços baixos e vender a preços altos, enquanto comprar e manter normalmente envolve a compra em intervalos periódicos, sem pouca ou nenhuma consideração ao preço, para o propósito de segurar por longos períodos de tempo.


Além disso, o investidor buy-and-hold argumentará que manter por períodos mais longos requer negociações menos frequentes do que outras estratégias.
Portanto, os custos de negociação são minimizados, o que aumentará o retorno líquido geral da carteira de investimentos. Simplificando, os investidores buy and hold acreditam que “passar o tempo no mercado” é um estilo de investimento mais prudente do que “sincronizar o mercado”.

Uma palavra de cautela sobre o timing do mercado


O timing de mercado é uma estratégia de investimento em que o investidor toma decisões de investimento, para comprar ou vender títulos de investimento, com base em previsões do futuro.
Mas o timing do mercado é sensato? A questão de saber se o market timing é ou não sensato para o investidor de fundos mútuos pode ser respondida com outra pergunta: É possível prever o futuro? A resposta curta é não.’ Um cronômetro do mercado, entretanto, acredita que é possível comprar ações ou fundos mútuos a preços altos e vender a preços baixos com base em sua avaliação do mercado futuro e da atividade econômica.


A maioria concordaria que o timing do mercado pode ser possível em curtos períodos de tempo, mas é mais difícil prever de forma consistente e precisa os movimentos do mercado de ações em longos períodos de tempo.
Certamente se pode prever o futuro, mas isso não significa que as previsões se tornarão realidade. Para o investidor médio, uma carteira diversificada de fundos mútuos, mantida para o longo prazo, é a melhor estratégia. A construção de uma carteira de fundos mútuos é mais bem aplicada quando o investidor considera cuidadosamente seus objetivos de investimento (ou seja, horizonte de tempo, metas financeiras) e tolerância ao risco (ou seja, sentimentos ou emoções sobre os altos e baixos do mercado de ações).

Isenção de responsabilidade: as informações neste site são fornecidas apenas para fins de discussão e não devem ser interpretadas como aconselhamento de investimento. Em nenhuma circunstância essas informações representam uma recomendação de compra ou venda de títulos.