3 estratégias para sobreviver à iminente crise de liquidez

Publicado por Javier Ricardo


A liquidez do mercado de ações, que oferece a capacidade de comprar ou vender ações com atraso mínimo e impacto mínimo sobre o preço, tenderá a cair drasticamente na próxima década, aumentando os riscos para os investidores, de acordo com um relatório detalhado da empresa de gestão de investimentos Bernstein, conforme publicado por Business Insider.
Na pior das hipóteses, a liquidez do mercado restrita pode desencadear um colapso nos preços das ações que desencadeia uma nova crise financeira. Três recomendações principais de Bernstein são resumidas abaixo.

3 maneiras de sobreviver à crise de liquidez

  • Aumentar as alocações de dinheiro
  • Evite posições excessivamente grandes e tenha cuidado com o risco de aglomeração
  • Desenvolva estratégias ativas para explorar o impacto negativo da liquidez

Fonte: Bernstein, conforme relatado por Business Insider

Significância para investidores


A justificativa para aumentar as alocações de dinheiro é direta.
O mesmo é verdadeiro para reduzir o risco, evitando posições de portfólio indevidamente grandes e sendo cauteloso com negociações lotadas com o potencial de forte pressão de venda quando o sentimento do mercado mudar. Os investidores também devem saber quantos dias de negociação podem levar para fechar uma posição de maneira ordenada, sem ter que se desfazer das ações a preços problemáticos.


Enquanto isso, estrategistas da Jefferies identificaram recentemente ações com forte participação de fundos de hedge de alta rotatividade, conforme relatado pela CNBC.
Essas ações correm o risco de sofrer pressões de venda repentinas e intensas, uma vez que esses fundos se dirijam para a saída.


Em sua terceira recomendação, Bernstein diz que o aumento do investimento passivo está reduzindo a liquidez.
Embora não ofereçam detalhes, eles acreditam que gerentes de investimento ativos, como eles próprios, têm a experiência de seleção de ações para prosperar nesse ambiente. No entanto, uma maioria crescente de fundos administrados ativamente está apresentando desempenho inferior ao de seus benchmarks passivos, de acordo com a pesquisa da Morningstar.


Bernstein identifica cinco forças que estão drenando liquidez.
Em primeiro lugar, uma combinação de negociação de alta frequência (HFT) e regulamentação foram fatores que impulsionaram uma queda de quase 75% nos spreads de compra e venda durante os últimos 10 anos, mas eles dizem que os volumes e o giro também diminuíram.


Em segundo lugar, menos investidores nos mercados públicos são movidos por fundamentos.
Em vez disso, os investidores estão se voltando para veículos passivos, como ETFs. “Também pode pressionar as participações mais líquidas dos investidores se uma parcela maior de seus ativos estiver amarrada em posições ilíquidas que não podem ser vendidas”, como Inigo Fraser-Jenkins, chefe de estratégia de ações globais quantitativas e europeias da Bernstein, escreveu em um nota recente aos clientes, conforme citado pelo BI.


A terceira e quarta forças são a reversão da flexibilização quantitativa (QE) pelos bancos centrais como o Federal Reserve e o aumento da dívida corporativa.
A quinta e última força é a desaceleração do ciclo econômico.


A queda na liquidez também é uma grande preocupação dos analistas do Deutsche Bank.
Eles veem paralelos preocupantes hoje com os estágios iniciais da crise financeira de 2008 e alertam que um aumento na volatilidade do mercado é uma consequência provável. Marko Kolanovic, chefe global de pesquisa macro quantitativa e derivativos do JPMorgan, prevê uma “Grande Crise de Liquidez”, na qual o desaparecimento de compradores dispostos a transformar uma liquidação do mercado de ações em um crash completo.

Olhando para a Frente


Uma prática recomendada de longa data para traders ativos é estar ciente dos volumes médios de negociação e dos spreads médios de compra e venda.
Negociar ações ilíquidas com spreads amplos é arriscado em tempos normais, muito menos em tempos de pânico do mercado. Além disso, uma tendência de menor liquidez em todo o mercado também tem ramificações para os investidores que compram e mantêm, que antecipam longos períodos de detenção, uma vez que pode chegar o dia em que o fechamento de uma posição é garantido.