5 Forças de Porter vs. Análise SWOT: Qual é a diferença?

Publicado por Javier Ricardo

5 Forças de Porter vs. Análise SWOT: Uma Visão Geral


As 5 Forças de Porter e a análise SWOT são ferramentas usadas para analisar e tomar decisões estratégicas.
Empresas, analistas e investidores usam as 5 forças de Porter para analisar o ambiente competitivo dentro de uma indústria, enquanto tendem a usar uma análise SWOT para olhar mais profundamente dentro de uma organização para analisar seu potencial interno.
 


Cada um dos modelos busca definir a posição da empresa no mercado.
As 5 Forças de Porter são geralmente mais uma micro ferramenta, enquanto a análise SWOT é comparativamente macro.


Principais vantagens

  • 5 Forças de Porter é uma estratégia de análise comparativa que analisa as forças competitivas do mercado dentro de uma indústria.
  • A análise SWOT analisa os pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças de um indivíduo ou organização para analisar seu potencial interno.
  • Embora as 5 forças de Porter sejam todas fatores externos, a análise SWOT examina as forças internas (pontos fortes e fracos) e externas (oportunidades e ameaças).
  • Ambas as ferramentas podem ser usadas para implementar processos de planejamento estratégico para promover o sucesso de uma empresa ou indivíduo.

5 Forças de Porter


5 Forças de Porter é uma estratégia de análise comparativa.
As empresas podem usá-lo para determinar a concorrência em seu setor, juntamente com os pontos fracos e fortes de um setor. Esse modelo pode ser aplicado a qualquer segmento da economia em busca de rentabilidade e atratividade.



A estratégia foi elaborada pelo professor da Harvard Business School Michael E. Porter como parte de seu livro
Competitive Strategy: Techniques for Analyzing Industries and Competitors , publicado em 1980.  Ela pode ser usada para analisar a estrutura do setor de uma empresa, bem como sua estrutura corporativa estratégia. Usando as 5 forças de Porter, as empresas podem definir expectativas de lucratividade.

Junto com a análise corporativa, as 5 Forças de Porter podem ser usadas para identificar a lucratividade em qualquer segmento da economia.

Os principais componentes das 5 forças de Porter


5 Forças de Porter descreve as cinco principais forças competitivas que compõem todas as indústrias, incluindo:

  1. O potencial para novos participantes na indústria. Quando a entrada é fácil para novas empresas, isso significa que geralmente há um maior grau de competição.
  2. Concorrência existente na indústria. Rivais mais estabelecidos significam um alto nível de competição no setor.
  3. A chegada de novos bens ou serviços ao mercado. Produtos e serviços mais novos podem corroer aqueles que já estão estabelecidos.
  4. Poder do fornecedor. Quando mais fornecedores começam a negociar, isso pode levar à escassez. Isso pode acirrar a competição por matérias-primas e outros recursos, levando a um aumento nos custos e uma redução nos lucros da empresa.
  5. Poder do consumidor. Os consumidores com mais poder de barganha podem levar a uma queda na lucratividade.


Cada uma dessas forças é geralmente de natureza externa e não é o resultado da estrutura interna de uma empresa.
As forças são geralmente analisadas em relação a um microconceito, como uma linha de negócios ou ideia individual.

Análise SWOT


SWOT significa pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças.
Uma análise SWOT é uma ferramenta estratégica usada para moldar o sucesso de uma empresa, local, setor, produto ou pessoa. Diz a uma entidade o que ela pode e não pode fazer interna e externamente, delineando como ela pode cumprir seus objetivos e o que está em seu caminho para alcançá-los.



Cada parte de uma análise SWOT é usada como um elemento de comparação para soluções existentes e concorrentes.
O foco, entretanto, permanece na fortaleza interna do conceito. A análise SWOT é freqüentemente considerada uma revisão mais macro, pois pode dar uma ideia se um objetivo é alcançável. Os usuários costumam fazer um exercício SWOT simplesmente para identificar suas próprias vantagens e desvantagens competitivas.

Fatores internos


Os pontos fortes e fracos são características internas – aquelas que podem ser controladas e / ou alteradas, muitas vezes com facilidade e internamente.
Os pontos fortes descrevem como a entidade se destaca e supera sua concorrência. Isso pode incluir forças como localização, poder da marca, marketing, dinheiro em caixa, tecnologia ou preço. Os pontos fracos de uma entidade, por outro lado, impedem que ela atinja seu potencial máximo.
 Dívida, falta de capital, rotatividade da força de trabalho e falta de recursos são exemplos de pontos fracos.

Fatores externos


Os fatores externos incluem oportunidades e ameaças, que podem não ser necessariamente fáceis de conter.
As oportunidades que uma entidade possui são os fatores favoráveis, que lhe conferem uma vantagem sobre a concorrência no setor. Reduções de impostos e reformas são um exemplo. As ameaças, por outro lado, são fatores externos que podem prejudicar a vantagem competitiva de uma empresa.
 Uma força de trabalho mais fraca e custos mais altos com matérias-primas podem ser ameaças potenciais.

Considerações Especiais


As empresas podem ajustar suas estratégias ao compreender e usar as 5 forças de Porter.
Seu uso pode ajudar a gerar lucros maiores e, portanto, aumentar os lucros de seus investidores. Analistas e investidores individuais também podem usar as 5 Forças de Porter como uma ferramenta qualitativa ao realizar uma análise de ações antes do investimento.


Uma análise SWOT pode vir na forma de brainstorming ou atividades de autoavaliação.
Para que uma análise SWOT funcione, deve haver uma atmosfera aberta, onde todos podem contribuir com suas próprias ideias. Depois que isso for feito, a gestão de uma empresa (ou um indivíduo) pode trabalhar na análise de cada ideia e colocar um plano estratégico em prática para ajudar a alcançar o sucesso.