Arbitragem Externa

Publicado por Javier Ricardo

O que é arbitragem externa?


Arbitragem externa é um tipo de arbitragem em que os bancos multinacionais sediados nos Estados Unidos se envolvem, que aproveita as diferenças nas taxas de juros entre os Estados Unidos e outros países.


A arbitragem externa ocorre quando as taxas de juros são mais baixas nos Estados Unidos do que no exterior, e os bancos tomam emprestado nos Estados Unidos a uma taxa baixa e depois emprestam esse dinheiro no exterior a uma taxa mais alta, embolsando a diferença como lucro.


Principais vantagens

  • Arbitragem externa é um tipo de arbitragem em que bancos multinacionais sediados nos Estados Unidos se envolvem para tirar vantagem das diferenças de taxas de juros entre os Estados Unidos e outros países.
  • A arbitragem externa ocorre quando as taxas de juros são mais baixas nos Estados Unidos do que no exterior, de modo que os bancos tomam emprestado nos Estados Unidos a uma taxa baixa e depois emprestam no exterior a uma taxa mais alta, lucrando com a diferença.
  • Arbitragem externa foi uma expressão cunhada em meados do século XX, devido à forte demanda por contas de poupança no exterior denominadas em dólares americanos.

Como funciona a arbitragem externa


A arbitragem externa é um conceito-chave nas finanças modernas.
A teoria financeira moderna é baseada na ideia de que a arbitragem pura, um sistema pelo qual um investidor ou empresa pode tirar vantagem dos diferenciais de preços para ganhar dinheiro sem falhar, não acontece de fato.


As finanças acadêmicas sugerem que uma verdadeira oportunidade de arbitragem desapareceria quase instantaneamente à medida que os investidores entrassem naquele mercado e competissem por esses lucros fáceis.
Mas o mundo real é mais confuso do que os modelos dos economistas, e algumas oportunidades de arbitragem ocorrem nos mercados reais, como resultado da competição imperfeita.


Por exemplo, não é fácil para qualquer banco crescer a ponto de poder tirar proveito das diferenças internacionais nas taxas de juros, devido à regulamentação e aos mercados imperfeitos de serviços financeiros.
Essa falta de competição possibilita a persistência de oportunidades de arbitragem externa.

Arbitragem Externa e o Mercado de Eurodólar


Arbitragem externa foi uma expressão cunhada em meados do século XX, devido à forte demanda por contas de poupança no exterior que eram denominadas em dólares americanos.
Esses depósitos de poupança eram chamados de eurodólares porque todas as contas estrangeiras denominadas em dólares estavam naquele momento hospedadas na Europa.


Hoje, porém, o eurodólar pode ser comprado em muitos países do mundo fora da Europa.
O mercado de eurodólares decolou após 1974, quando os Estados Unidos suspenderam os controles de capital que dificultavam os empréstimos internacionais. Desde então, o mercado de eurodólares tornou-se uma importante fonte de financiamento e lucros para os bancos americanos.

Exemplo de Arbitragem Externa


Digamos que um grande banco americano queira ganhar dinheiro por meio de arbitragem externa.
Suponhamos também que a taxa vigente para certificados de depósito de um ano nos Estados Unidos seja de 2%, enquanto os certificados de depósito denominados em dólares pagam 3% na França.


O grande banco americano poderia decidir ganhar dinheiro aceitando certificados de depósitos nos Estados Unidos e, em seguida, pegando o produto para emitir empréstimos na França a uma taxa mais elevada.
A arbitragem interna é possível quando a situação se inverte e as taxas de juros são mais altas nos Estados Unidos do que no exterior.