Como avaliar as empresas usando o valor presente dos fluxos de caixa livres

Publicado por Javier Ricardo


As decisões de investimento podem ser feitas com base em análises simples, como encontrar uma empresa de sua preferência com um produto que você acha que terá demanda.
A decisão pode não ser baseada na análise das demonstrações financeiras, mas o motivo para escolher esse tipo de empresa em vez de outro ainda é válido. Sua previsão subjacente é que a empresa continuará a produzir e vender produtos de alta demanda e, portanto, terá o fluxo de caixa de volta para o negócio. A segunda – e muito importante – parte da equação é que a administração da empresa sabe onde gastar esse dinheiro para continuar as operações. Uma terceira suposição é que todos esses fluxos de caixa futuros potenciais valem mais hoje do que o preço atual da ação.


Para colocar números nessa ideia, poderíamos olhar para esses fluxos de caixa potenciais das operações e descobrir o que eles valem com base em seu valor presente.
Para determinar o valor de uma empresa, um investidor deve determinar o valor presente dos fluxos de caixa operacionais livres. Obviamente, precisamos encontrar os fluxos de caixa antes de descontá-los ao valor presente.


1:38


Rendimento de fluxo de caixa livre: um indicador fundamental

Fluxos de caixa grátis


O que são fluxos de caixa livres?
Os fluxos de caixa livres referem-se ao caixa que uma empresa gera após as saídas de caixa. Ajuda a apoiar as operações da empresa e a manter seus ativos. O fluxo de caixa livre mede a lucratividade. Inclui gastos com ativos, mas não inclui despesas não monetárias na demonstração de resultados.


Este valor está disponível para todos os investidores, que podem usá-lo para determinar a saúde geral e o bem-estar financeiro de uma empresa.
Também pode ser usado por futuros acionistas ou potenciais credores para ver como uma empresa seria capaz de pagar dividendos ou dívidas e pagamentos de juros.

Fluxo de caixa operacional livre


O fluxo de caixa operacional livre (OFCF) é o caixa gerado pelas operações, que é atribuído a todos os provedores de capital na estrutura de capital da empresa.
Isso inclui provedores de dívida, bem como capital.


O cálculo do OFCF é feito tomando o lucro antes de juros e impostos (EBIT) e ajustando a taxa de imposto, então adicionando a depreciação e retirando as despesas de capital, menos a mudança no capital de giro e menos as mudanças em outros ativos.
Aqui está a fórmula real:

OFCF=EBeuT×(1T)+DCUMAPEXD×WcD×umaOnde:EBeuT=lucro antes de juros e impostosT=taxa de impostoD=depreciaçãoWc=capital de girouma=quaisquer outros ativos\ begin {alinhado} & OFCF = EBIT \ vezes (1 – T) + D- CAPEX – D \ vezes wc – D \ vezes a \\ & \ textbf {onde:} \\ & EBIT = \ text {lucro antes de juros e impostos } \\ & T = \ text {taxa de imposto} \\ & D = \ text {depreciação} \\ & wc = \ text {capital de giro} \\ & a = \ text {qualquer outro ativo} \\ \ end {alinhado}O F C F = E B I T × ( 1 T ) + D C A P E X D × w c D × aOnde:E B I T = lucro antes de juros e impostosT = taxa de impostoD = depreciaçãow c = capital de giroa = quaisquer outros ativos


Isso também é conhecido como fluxo de caixa livre para a empresa e é calculado de forma a refletir a capacidade geral de geração de caixa da empresa antes de deduzir despesas de juros relacionadas à dívida e itens não monetários.
Depois de calcular esse número, podemos calcular as outras métricas necessárias, como a taxa de crescimento.

Calculando a taxa de crescimento


A taxa de crescimento pode ser difícil de prever e pode ter um efeito drástico no valor resultante da empresa.
Uma forma de calcular é multiplicar o retorno sobre o capital investido (ROIC) pela taxa de retenção. A taxa de retenção é a porcentagem dos lucros mantida dentro da empresa e não paga como dividendos. Esta é a fórmula básica:

g=RR×ROeuCOnde:RR=taxa de retenção média, ou (1 – taxa de pagamento)ROeuC=EBeuT(1imposto)÷capital total\ begin {alinhado} & g = RR \ times ROIC \\ & \ textbf {onde:} \\ & RR = \ text {taxa de retenção média, ou (1 – razão de pagamento)} \\ & ROIC = EBIT (1 – \ text { imposto}) \ div \ text {capital total} \\ \ end {alinhado}g = R R × R O I COnde:R R = taxa de retenção média, ou (1 – razão de pagamento)R S I C = E B I T ( 1 imposto ) ÷ capital total

Avaliação


O método de avaliação é baseado nos fluxos de caixa operacionais que chegam após a dedução das despesas de capital, que são os custos de manutenção da base de ativos.
Esse fluxo de caixa é obtido antes dos pagamentos de juros aos detentores de dívidas para avaliar o total da empresa. Apenas a contabilização do patrimônio líquido, por exemplo, proporcionaria o valor crescente aos acionistas. O desconto de qualquer fluxo de caixa requer uma taxa de desconto e, neste caso, é o custo de financiamento de projetos na empresa. O custo médio ponderado de capital (WACC) é usado para essa taxa de desconto. O fluxo de caixa operacional livre é então descontado nessa taxa de custo de capital usando três cenários de crescimento potencial – nenhum crescimento, crescimento constante e taxa de crescimento variável.

Nenhum crescimento


Para encontrar o valor da empresa, descontar o OFCF pelo WACC.
Isso desconta os fluxos de caixa esperados para continuar enquanto existir um modelo de previsão razoável.

Valor da empresa=OFCFt÷(1+CUMACC)tOnde:OFCF=os fluxos de caixa operacionais livres no período tCUMACC=custo médio ponderado de capital\ begin {align} & \ text {Firm value} = OFCF_t \ div (1 + WACC) ^ t \\ & \ textbf {onde:} \\ & OFCF = \ text {os fluxos de caixa operacionais livres no período} t \\ & WACC = \ text {custo médio ponderado de capital} \\ \ end {alinhado}Valor da empresa = O F C Ft÷ ( 1 + W A C C )tOnde:OFCF=the operating free cash flows in period tW A C C = custo de capital médio ponderado

Crescimento Constante


Em uma empresa mais madura, você pode achar mais apropriado incluir uma taxa de crescimento constante no cálculo.
Para calcular o valor, pegue o OFCF do próximo período e desconte-o no WACC menos a taxa de crescimento constante de longo prazo do OFCF.

Valor da firma=OFCF1÷(kg)Onde:OFCF1=fluxo de caixa operacional livrek=taxa de desconto, neste caso WACCg=taxa de crescimento esperada em OFCF\ begin {alinhado} & \ text {Valor da empresa} = OFCF_1 \ div (k – g) \\ & \ textbf {onde:} \\ & OFCF_1 = \ text {fluxo de caixa operacional livre} \\ & k = \ text {taxa de desconto, neste caso WACC} \\ & g = \ text {taxa de crescimento esperada em OFCF} \\ \ end {alinhado}Valor da empresa = O F C F1÷ ( k g )Onde:O F C F1= fluxo de caixa operacional livrek = taxa de desconto, neste caso WACCg = taxa de crescimento esperado em OFCF

Vários períodos de crescimento


Supondo que a empresa esteja prestes a passar por mais de um estágio de crescimento, o cálculo é uma combinação de cada um desses estágios.
Usando o modelo de crescimento de dividendo supernormal para o cálculo, o analista precisa prever o crescimento acima do normal e a duração esperada de tal atividade. Após esse alto crescimento, pode-se esperar que a empresa volte a um crescimento normal e estável para a perpetuidade. Para ver os cálculos resultantes, suponha que uma empresa tenha um fluxo de caixa operacional livre de $ 200 milhões, que deve crescer 12% por quatro anos. Após quatro anos, ele voltará a uma taxa de crescimento normal de 5%. Assumiremos que o custo médio ponderado de capital é de 10%.

Períodos de crescimento múltiplo de fluxo de caixa operacional livre (em milhões)

Período OFCF Cálculo Quantia Valor presente
1 OFCF 1 $ 200 x 1,12 1 $ 224,00 $ 203,64
2 OFCF 2 $ 200 x 1,12 2 $ 250,88 $ 207,34
3 OFCF 3 $ 200 x 1,12 3 $ 280,99 $ 211,11
4 OFCF 4 $ 200 x 1,12 4 $ 314,70 $ 214,95
         
5 OFCF 5 $ 314,7 x 1,05 $ 330,44  
    $ 330,44 / (0,10 – 0,05) $ 6.608,78  
    $ 6.608,78 / 1,10 5   $ 4.103,05
         
      NPV $ 4.940,09

Tabela 1: As duas etapas do OFCF partem de uma alta taxa de crescimento (12%) para quatro anos seguida de um crescimento constante perpétuo de 5% a partir do quinto ano. É descontado ao valor presente e soma $ 5,35 bilhões de dólares.


Tanto o modelo de desconto de dividendos em dois estágios (DDM) quanto o modelo FCFE permitem duas fases distintas de crescimento – um período inicial finito em que o crescimento é anormal, seguido por um período de crescimento estável que deve durar para sempre.
Para determinar a taxa de crescimento sustentável de longo prazo, normalmente se supõe que a taxa de crescimento será igual ao crescimento do PIB previsto a longo prazo. Em cada caso, o fluxo de caixa é descontado ao valor presente em dólares e adicionado para obter um valor presente líquido.


Comparar isso com o preço atual das ações da empresa pode ser uma forma válida de determinar o valor intrínseco da empresa.
Lembre-se de que precisamos subtrair o valor atual total da dívida da empresa para obter o valor do patrimônio líquido. Em seguida, divida o valor do patrimônio pelas ações ordinárias em circulação para obter o valor do patrimônio por ação. Esse valor pode então ser comparado a quanto a ação está sendo vendida no mercado para ver se está sobrevalorizada ou subvalorizada.

The Bottom Line


Os cálculos que tratam do valor de uma empresa sempre usarão métodos exclusivos com base na empresa que está sendo examinada.
As empresas em crescimento podem precisar de um método de dois períodos quando houver um crescimento maior por alguns anos. Em uma empresa maior e mais madura, você pode usar uma técnica de crescimento mais estável. Sempre se trata de determinar o valor dos fluxos de caixa livres e descontá-los até hoje.