Definição de Robo-Signatário

Publicado por Javier Ricardo

O que é um Robo-Signer?


Um robo-signatário se refere a um funcionário de uma empresa de manutenção de hipotecas que assina documentos como documentos de execução hipotecária roboticamente, sem revisá-los.
Em vez de realmente revisar os detalhes individuais de cada caso, os robo-signatários presumem que a papelada está correta e a assinam automaticamente – como robôs. Em alguns casos, o software é de fato usado para assinar por robôs.


Principais vantagens

  • Um robo-signatário é alguém que cega carimba documentos ou aplicativos sem revisá-los adequadamente.
  • Como os documentos não são inspecionados, os candidatos que merecem aprovação são negados ou aqueles que deveriam ser negados são aprovados. Isso leva a práticas injustas e antiéticas.
  • A assinatura de robôs foi identificada como um fator importante que exacerbou a crise de hipotecas e execuções hipotecárias durante a Grande Recessão.

Compreendendo os Robo-Signatários


Os Robo-signatários carimbam os documentos sem nenhuma inspeção séria dos materiais ou documentos sendo aprovados ou negados e, portanto, podem aprovar ou negar inscrições que têm ou não mérito.
Como resultado, pode levar a práticas injustas, antiéticas ou mesmo ilegais. A assinatura do robô foi revelada nos últimos anos por jornalistas e reguladores financeiros.


No terceiro e quarto trimestres de 2010, um escândalo de assinatura de robôs emergiu nos Estados Unidos envolvendo a GMAC Mortgage e uma série de grandes bancos americanos.
Os bancos tiveram que interromper milhares de execuções hipotecárias em vários estados quando se soube que a papelada era ilegítima porque os signatários não a revisaram de fato. Enquanto alguns robo-signatários eram gerentes de nível médio, outros eram trabalhadores temporários, praticamente sem nenhuma compreensão do trabalho que estavam fazendo.


Como Robo-Signers afetaram a situação legal de execuções hipotecárias


O problema recorrente com os robo-signatários era sua tendência de simplesmente adiantar documentos para execução hipotecária com pouco tempo gasto no processamento e revisão de seu conteúdo.
Isso resultou de circunstâncias problemáticas como altas cargas de trabalho e grandes expectativas de participação. Em alguns casos, esses signatários admitiram no tribunal que colocaram suas assinaturas em até 10.000 documentos de execução hipotecária em um mês.
 Embora essas assinaturas devam incluir um exame cuidadoso da documentação, esses procedimentos nem sempre foram seguidos. Em vez disso, o signatário pode simplesmente procurar informações básicas, como o valor devido em uma hipoteca e o nome do mutuário. O resto foi considerado correto e os documentos foram assinados.


Embora talvez tenha havido algum treinamento mínimo oferecido, os robo-signatários freqüentemente admitiam não ter um entendimento completo dos elementos dos documentos que estavam assinando.
Isso incluiu não saber como esses documentos podem ser usados ​​em processos judiciais. Além disso, os signatários costumavam ter pouco pessoal em relação à carga de trabalho geral que eram designados para processar às vezes, com pouca ou nenhuma instrução sobre como manusear os documentos. Além de assinar documentos de execução hipotecária com pouco tempo de revisão, alguns robo-signatários também introduziram novos erros, como calcular mal o valor das casas ou não relatar os efeitos de uma avaliação naquele valor.


As questionáveis ​​práticas clericais desses trabalhadores levaram os advogados de proprietários que enfrentavam a execução hipotecária a moverem os processos para fora, alegando que os documentos não tinham mérito jurídico.


Após a divulgação pública da existência dos robo-signatários, obrigando ao reexame dos documentos de execução hipotecária, os trabalhadores que praticam esta prática podem ter sofrido medidas disciplinares e rescisão pelas instituições que os contrataram para o exercício da função.
Os credores, apesar de não verem problemas com seu trabalho antes da exposição generalizada, podem despedir um robo-signatário por não seguir as políticas da empresa.