Gates treinou Zuckerberg para lidar com Washington

Publicado por Javier Ricardo


O fundador e CEO (CEO) do Facebook Inc. (FB), Mark Zuckerberg, teria muito mais dificuldade neste ano crucial para seu império de mídia social se não fosse por seu mentor Bill Gates, de acordo com um artigo recente na O nova-iorquino em torno do empresário e magnata da tecnologia de 34 anos. 


No início deste ano, as ações do Facebook despencaram em um escândalo de manchetes envolvendo a empresa de consultoria política Cambridge Analytica, que supostamente usou informações de até 80 milhões de usuários sem seu consentimento para ajudar a campanha de Trump na corrida presidencial de 2016 nos EUA.
À luz da violação de dados, Zuckerberg foi convidado a testemunhar perante o Congresso, onde sua atitude foi considerada calma e controlada pelos legisladores dos EUA. Como resultado, os investidores do Facebook ganharam confiança na capacidade da empresa do Vale do Silício de trabalhar com Washington e ficaram menos preocupados com o medo de uma regulamentação mais intensa. 


(Veja também:
Facebook para cima sobre a aparição de Zuckerberg no Congresso. )

‘Ele me deve’, diz o mentor de Zuckerberg, Bill Gates


De acordo com o New Yorker, Zuckerberg foi treinado pelo colega graduado de Harvard e lendário visionário da tecnologia Bill Gates, que aprendeu com seus próprios erros ao testemunhar na frente de legisladores nos anos 1990 sobre questões antitruste. 


Décadas atrás, Gates disse aos senadores que “a indústria de software de computador não está quebrada e não há necessidade de consertá-la”.
Seu tom desafiador custou à sua gigante de TI Microsoft Corp. (MSFT) três anos de processos lutando contra o Departamento de Justiça. O empresário e filantropo disse mais tarde que se arrependia de “insultar” os legisladores e que não escolheria repetir suas ações. As lutas do cofundador da Microsoft com a DC fizeram dele um excelente treinador para Zuckerberg. 


“Eu disse: ‘Consiga um escritório lá – agora … E Mark conseguiu, e ele me deve”, disse Gates. 


As ações do Facebook, com alta de 1,4% na manhã de terça-feira a $ 166,52, refletem um declínio de 5,6% no acumulado do ano (YTD), com desempenho inferior ao retorno de 8% do S&P 500 e ao ganho de 15,4% do Nasdaq Composite Index no mesmo período. 


(Para mais informações, consulte também: 
Níveis principais para ações do Facebook no segundo semestre de 2018. )