Guarda-chuva Corporativo

Publicado por Javier Ricardo

O que é um guarda-chuva corporativo?


Um guarda-chuva corporativo é uma marca grande e geralmente bem-sucedida que supervisiona empresas menores pertencentes à mesma corporação.
Ele adiciona estrutura e credibilidade às marcas menores, sem a necessidade de tomar decisões organizacionais importantes sobre produtos e serviços. Isso permite que a subsidiária se diferencie da corporação, mas com o respaldo financeiro e o suporte de uma empresa muito maior.


Muitas grandes empresas empregam uma estratégia corporativa abrangente para diversificar os fluxos de receita e obter maiores lucros.
Por exemplo, a Procter & Gamble (PG) vende vários produtos com diferentes nomes de marcas, como toalhas de papel Bounty, pasta de dente Crest e detergente Downey. Cada marca opera independentemente da Proctor & Gamble, mas também faz parte da empresa maior. 


Principais vantagens

  • Um guarda-chuva corporativo é uma grande marca, ou empresa, que supervisiona empresas menores pertencentes à corporação geral.
  • Um guarda-chuva corporativo é mais frequentemente estruturado como uma empresa-mãe e suas subsidiárias.
  • As subsidiárias sob um guarda-chuva corporativo se beneficiam da marca, do suporte financeiro e do suporte da empresa controladora.
  • Um guarda-chuva corporativo permite que uma empresa-mãe diversifique seus negócios e gere maiores lucros de várias subsidiárias sem ter que se envolver nas operações do dia-a-dia.
  • As empresas de produtos básicos de consumo geralmente usam uma estrutura corporativa abrangente.
  • Os riscos associados a uma estrutura corporativa guarda-chuva incluem a controladora ser impactada negativamente por quaisquer situações adversas em relação às suas subsidiárias.
  • Se uma subsidiária sob um guarda-chuva corporativo está tendo um desempenho insatisfatório ou causando outros problemas, a controladora geralmente a venderá.

Compreendendo um guarda-chuva corporativo


Um guarda-chuva corporativo é empregado para aumentar a credibilidade de marcas menores que lançam novos produtos e serviços.
Ao fazer isso, a subsidiária pode atingir uma base maior de clientes ou público que antes desconhecia seus produtos e serviços.


Transferir o valor da marca para a empresa menor também cria sinergias para a corporação.
Se diferentes divisões melhorarem seu valor de marca e situação monetária, a grande empresa colherá essas recompensas. Eles não precisam mais dedicar mais recursos financeiros e de marketing para estabelecer uma reputação positiva para a marca guarda-chuva.


As empresas de produtos básicos de consumo costumam usar uma estratégia corporativa abrangente para gerenciar e dar suporte a diferentes produtos usados ​​diariamente.
Algumas marcas de guarda-chuva populares incluem Unilever, Pepsi (PEP) e Coca-Cola (KO). Por exemplo, a Pepsi gerencia as operações de seu principal negócio de refrigerantes, mas também supervisiona e promove lanches produzidos pela Frito-Lay. 


É comum para o consumidor médio não perceber que uma marca específica é, na verdade, uma subsidiária de uma empresa-mãe maior.
Às vezes, a marca da subsidiária é tão conhecida que um consumidor pode pensar que é sua própria empresa. Por exemplo, a Procter & Gamble possui 65 marcas, a maioria das quais bem conhecidas dos consumidores.


Os investidores, é claro, estão atentos às matrizes e suas marcas, pois um investidor só pode adquirir ações da matriz, cujo desempenho depende do desempenho de todas as suas subsidiárias.

Desvantagens de um guarda-chuva corporativo


Os guarda-chuvas corporativos oferecem muitas sinergias às grandes corporações, mas alguns riscos ainda permanecem.
Torna-se difícil para a empresa maior gerenciar todas as partes móveis da corporação e as marcas individuais.


Se uma subsidiária não consegue vender um produto ou se torna vítima de um escândalo, isso pode ser um reflexo pobre da empresa.
Isso pode resultar em vendas perdidas, queda no preço das ações ou uma mudança mais drástica, como mudança de gerenciamento. Ao final, a controladora é a responsável pelos atos de suas subsidiárias.


Ter clientes insatisfeitos com uma marca pode impactar as vendas de outros produtos vendidos sob o guarda-chuva corporativo.
Aqui, o valor negativo da marca não se limita a apenas uma empresa, mas a muitas. Por isso, a estratégia de guarda-chuva corporativa exige que a empresa esteja atenta à qualidade de todos os seus produtos e pessoas. Caso contrário, os clientes e públicos-alvo começarão a associar a marca corporativa e suas subsidiárias a um serviço ruim.


Se uma empresa-mãe está lutando com uma subsidiária dentro de seu guarda-chuva corporativo, na maioria das vezes ela a venderá.
A alienação pode assumir várias formas, mas pode ser vendida para outra empresa-mãe de um guarda-chuva corporativo separado ou para uma firma de private equity que acredita que pode mudar a sorte de uma subsidiária em dificuldades.