Prós e contras de iniciar um negócio como uma parceria limitada

Publicado por Javier Ricardo

Uma parceria limitada (LP) é uma forma de parceria comercial semelhante a uma parceria geral, exceto que, enquanto uma parceria geral deve ter pelo menos dois parceiros gerais (GPs), uma sociedade limitada deve ter pelo menos um GP e pelo menos um limitado parceiro. As sociedades limitadas são distintas das sociedades de responsabilidade limitada, nas quais todos os parceiros têm responsabilidade limitada.

Observe que, quando a sociedade em comandita está sendo estabelecida, ou quando a composição da firma está mudando, as sociedades em comandita geralmente são obrigadas a arquivar documentos no cartório de registro estadual relevante. Os sócios comanditários devem divulgar sua situação ao negociar com outras partes, de forma que tais partes fiquem sabendo que o indivíduo que está negociando com elas tem responsabilidade limitada.

É habitual que a documentação e os materiais eletrônicos emitidos ao público pela empresa contenham uma declaração clara identificando a natureza jurídica da empresa e listando os sócios separadamente como gerais e limitados. Ao contrário dos GPs, os sócios comanditários não têm autoridade de agência inerente para vincular a empresa, a menos que sejam posteriormente apresentados como agentes (e assim criem uma agência por preclusão); ou atos de ratificação pela empresa criam autoridade ostensiva.

Os prós de uma parceria limitada muitas vezes superam quaisquer contras percebidas, mas independentemente de quão atraente e fácil de configurar uma entidade legal ou estrutura empresarial é, sempre há prós e contras de possuir tal status de empresa, portanto, a necessidade de pesar suas opções antes de escolher uma . Neste artigo, veremos os prós e os contras de possuir uma parceria limitada.

Prós de iniciar um negócio como uma parceria limitada

Tabela de conteúdo

  • 1. O proprietário enfrenta apenas responsabilidade limitada
  • 2. Ações da Sociedade Limitada são consideradas como títulos
  • 3. A parceria limitada é simples e flexível
  • 4. As despesas comerciais podem ser debitadas diretamente da renda pessoal
  • 5. Meios fáceis de sair do negócio
  • 6. Os parceiros limitados estão imunes a altos níveis de responsabilidade
  • 7. Você pode aumentar o crescimento do negócio
  • uma. O parceiro limitado é limitado na tomada de decisões importantes
  • b. Lucros são tratados como renda pessoal
  • c. Em uma parceria limitada, os sócios gerais são pessoalmente responsáveis ​​por dívidas comerciais
  • d. Dificuldade em arrecadar dinheiro para expansão
  • e. Exigir um determinado nível de registro estadual
  • f. Os parceiros limitados não têm poder de voto

1. O proprietário enfrenta apenas responsabilidade limitada

Você não pode falar sobre os prós de iniciar uma Sociedade Limitada sem falar do fato de que o proprietário do negócio enfrenta responsabilidade limitada. O que isto significa é que, se o negócio falir ou for processado, o sócio comanditário só é responsável pelo seu investimento no negócio e nos ativos do negócio.

O proprietário não será pessoalmente responsável e, a menos que o sócio comanditário tenha feito algo como indivíduo para torná-lo responsável, ele ou ela não pode ser processado individualmente.

2. Ações da Sociedade Limitada são consideradas como títulos

Outra vantagem óbvia da sociedade em comandita é que as ações são consideradas títulos. Em essência, isso significa que as ações de uma sociedade em comandita podem ser vendidas a qualquer terceiro para levantar capital com uma porcentagem do patrimônio líquido.

Isso elimina a necessidade de uma empresa abrir o capital para vender ações e, ao mesmo tempo, se beneficiar da injeção de dinheiro de um pagamento de capital. Os sócios limitados também podem vender diretamente suas ações a terceiros, desde que tenham feito uma primeira oferta aos sócios gerais.

3. A parceria limitada é simples e flexível

Quando você coloca a Sociedade Limitada lado a lado com outras estruturas jurídicas de negócios, você notará que a Sociedade Limitada é bastante barata e as aplicações são bastante básicas. Eles também são flexíveis o suficiente para criar estruturas de gerenciamento que são centralizadas como as de uma empresa seriam ou não centralizadas, onde cada um dos sócios gerentes tem uma participação igual no que precisa acontecer. Isso permite que os parceiros compartilhem recursos, limitem suas responsabilidades pessoais e maximizem seus lucros.

4. As despesas comerciais podem ser debitadas diretamente da renda pessoal

Quando se trata de Sociedade Limitada, qualquer despesa comercial incorrida pode ser diretamente debitada da renda pessoal do parceiro (proprietário do negócio). Existem vários custos associados à gestão de um negócio e em sociedades limitadas, esses custos são divididos em partes com base na estrutura da parceria ou podem ser assumidos integralmente se um membro assumir a responsabilidade pelos custos de tudo.

5. Meios fáceis de sair do negócio

Quando comparados a outras oportunidades de investimento, os sócios limitados podem sair rapidamente de um negócio, se necessário. Da mesma forma, os sócios limitados podem ser facilmente substituídos por outros sócios a qualquer momento, desde que os sócios gerais tenham dado sua permissão para que isso aconteça ou tenham se recusado a comprar a participação em sociedade limitada. Isso significa que os problemas de saída que os capitalistas de risco veem em outras empresas não existem nessa estrutura de negócios.

6. Os parceiros limitados estão imunes a altos níveis de responsabilidade

Outra vantagem de possuir um negócio de sociedade em comandita é que, enquanto o sócio comanditário permanecer passivo em seu envolvimento com uma oportunidade de negócio, ele estará protegido pelas cláusulas de responsabilidade limitada que estão na lei hoje. Este status está sujeito a alterações se o sócio limitado fizer qualquer esforço para participar materialmente de alguma forma. Se isso não acontecer, os credores só podem buscar um sócio limitado pelo valor de seu investimento.

7. Você pode aumentar o crescimento do negócio

Como esperado, uma boa porcentagem de sociedades em comandita não vai se tornar tão lucrativa quanto uma empresa de capital aberto, mas isso não significa de forma alguma que a parceria não possa ser dimensionada para fornecer enormes lucros a todos os parceiros envolvidos. Ter uma ideia fantástica é, sem dúvida, muito importante quando se fala em escalabilidade de negócios.

Além disso, espera-se que cada sócio geral cumpra suas responsabilidades e também que os sócios limitados permaneçam passivos a todo custo. Na verdade, por pior que seja a situação do negócio, a estrutura do negócio pode ser alterada para que, caso uma empresa precise continuar crescendo, ela o consiga.

Os contras de possuir uma parceria limitada

Aqui estão alguns dos contras de ter um negócio de parceria limitada;

uma. O parceiro limitado é limitado na tomada de decisões importantes

Uma grande desvantagem do negócio de sociedade limitada é que os sócios comanditários não têm muito a dizer sobre assuntos regulares de negócios ou grandes decisões. Na verdade, se o sócio comanditário participa demais da gestão do dia-a-dia do negócio, ele pode perder o status de sócio comanditário e se tornar sócio comanditário.

b. Lucros são tratados como renda pessoal

Outra desvantagem da Sociedade Limitada é que todos os sócios-gerentes em uma sociedade limitada são tributados sobre suas declarações de renda pessoal no final do ano fiscal. Isso significa que os impostos são considerados repasse, mas isso significa a necessidade de pagar o imposto sobre o trabalho autônomo além do imposto de renda normal.

Os impostos comerciais não são impostos à empresa em si e o sócio comanditário só paga impostos sobre quaisquer lucros que sejam distribuídos a eles, como fariam com qualquer outra receita de investimento.

c. Em uma parceria limitada, os sócios gerais são pessoalmente responsáveis ​​por dívidas comerciais

Outro grande golpe é que em uma Sociedade Limitada, os General Partners são pessoalmente responsáveis ​​pelas dívidas comerciais. Na verdade, isso é considerado uma dupla desvantagem. Os membros gerentes de uma sociedade limitada são pessoalmente responsáveis ​​por quaisquer dívidas que seus negócios criem.

Isso significa que seus bens pessoais podem ser usados ​​para pagar dívidas comerciais pendentes, apenas como uma empresa individual. A segunda questão aqui é que os parceiros também são pessoalmente responsáveis ​​pelas dívidas criadas um pelo outro.

d. Dificuldade em arrecadar dinheiro para expansão

Quando se trata de expansão de negócios ou aproveitamento de oportunidades para desenvolver negócios, os proprietários de empresas geralmente atraem investidores com o objetivo de levantar dinheiro. Nesse sentido, é muito difícil com uma parceria limitada.

Normalmente, os investidores que entram em uma sociedade limitada assumem automaticamente uma parte da dívida se se tornarem um sócio geral, e isso não é algo que a maioria dos investidores fará se quiserem ter qualquer controle sobre como o negócio é operado. A única esperança aqui é vender mais ações para outro investidor passivo.

e. Exigir um determinado nível de registro estadual

Ao contrário de uma sociedade em geral, as sociedades em comandita ainda exigem um certo nível de registro estadual. Isso ocorre porque essa estrutura requer um sócio comanditário e um sócio comanditário para existir. Isso significa que o sócio comanditário é mais um investidor passivo, enquanto o sócio comanditário tira proveito de todos os benefícios de estar na estrutura. Para o sócio comanditário, é como possuir ações ou títulos.

f. Os parceiros limitados não têm poder de voto

Quando se trata de parceria limitada, os sócios limitados não têm poderes de voto. Na verdade, a única coisa que os sócios limitados normalmente recebem por seu investimento em uma sociedade é um pagamento de dividendos com base nos lucros recebidos.

Isso significa que eles não precisam pagar impostos sobre trabalho autônomo sobre o dinheiro recebido, mas podem ter que pagar imposto sobre ganhos de capital sobre quaisquer ganhos. Este é o preço a pagar por não colocarem em risco os seus bens pessoais, desde que fiquem fora do dia-a-dia da empresa.