Qual a importância dos passivos contingentes em uma auditoria?

Publicado por Javier Ricardo


Os passivos contingentes, quando presentes, são itens de auditoria muito importantes porque normalmente representam riscos que são facilmente mal compreendidos ou desconsiderados.
Para empresas nos Estados Unidos, o Financial Accounting Standards Board, ou FASB, define critérios específicos para como os passivos contingentes devem ser avaliados, divulgados e auditados. Espera-se que os auditores apliquem critérios de reconhecimento, mensuração e divulgação de acordo com a codificação dos padrões de contabilidade do FASB.


Importância da Divulgação Adequada de Responsabilidade Contingente


Passivos contingentes são as despesas futuras que podem ocorrer.
Exemplos comuns incluem ações judiciais, garantias sobre produtos da empresa e impostos não liquidados. Devido aos riscos que impõem e à maior frequência com que ocorrem nas finanças contemporâneas, os passivos contingentes devem ser cuidadosamente considerados por todos os auditores privados e governamentais. Agências de classificação de crédito, credores e investidores contam com auditorias para expor riscos ocultos às contrapartes. O risco oposto também está presente. Uma empresa pode exagerar seus passivos contingentes e afugentar os investidores, pagar muitos juros sobre seu crédito ou deixar de se expandir o suficiente por medo de perdas.

Importância das Auditorias


As auditorias protegem a integridade das informações financeiras.
Confiança, reputação e negociações justas são elementos cruciais em qualquer transação comercial, mas são ainda mais importantes ao lidar com títulos e grandes empréstimos entre partes sem relações de trabalho. O auditor fica de olho nos passivos contingentes não divulgados. Se as alegações da empresa forem confirmadas e comprovadas como razoáveis, o auditor pode validar as informações apresentadas ao público. Se, por qualquer motivo, algum passivo foi listado incorretamente ou omitido ou se os impostos não foram devidamente divulgados, o auditor é responsável por corrigir esses erros e alertar as autoridades competentes.

Revisão de passivos contingentes em uma auditoria


Um auditor nunca deve assumir que a administração da empresa sempre divulgou todos os passivos contingentes.
Isso é particularmente verdadeiro para despesas legais e impostos não liquidados. Os auditores têm autoridade para revisar todos os relatórios do Internal Revenue Service, ou IRS, para possíveis responsabilidades fiscais não divulgadas.Todas
as despesas legais devem ser acompanhadas por documentos de suporte.


Um auditor nem sempre pode ser uma autoridade legal suficiente em um tópico específico para compreender a probabilidade da despesa.
Além disso, o idioma jurídico pode ser escrito para ser intencionalmente obtuso. Nesses casos, o auditor pode revisar o precedente ou consultar um especialista antes de tomar uma decisão sobre possíveis contingências.

Materialidade e probabilidade


Para passivos contingentes, uma possível despesa só é material se representar um impacto significativo nas finanças da empresa.Por
 exemplo, um passivo de $ 1.000 não é relevante para a Berkshire Hathaway, mesmo que tenha 95% de chance de ocorrer. Uma vez determinada a materialidade, cabe à empresa, em primeiro lugar, e ao auditor, em segundo lugar, determinar se a realização do passivo contingente é remota, razoavelmente possível ou provável.


O FASB permite que os auditores usem seu melhor julgamento ao decidir entre os três níveis de probabilidade.
 Grandes passivos contingentes podem afetar drasticamente a lucratividade futura esperada de uma empresa, portanto, esse julgamento deve ser conduzido com cuidado. Todas as notas de rodapé importantes precisam ser adicionadas ao balanço patrimonial.